20 janeiro, 2017

Psoríase


Muitas pessoas talvez nem saibam do que se trata , outras certamente já conhecem , seja por experiência própria , ou por conhecerem alguém portador de psoríase . 

- Trata-se de uma doença inflamatória da pele (com descamação total ou parcial da pele , com manchas vermelhas cobertas de camadas de pele grossa e morta) , benigna , crónica , relacionada com a transmissão genética e que necessita de factores desencadeantes para que surja ou piore . 

- Em geral , esses factores estão relacionados a algum evento que perturba a pessoa emocionalmente , sendo assim , considerada uma doença psicossomática . Esta doença afecta 1 a 2% da população mundial e afecta tanto mulheres como homens , embora o inicio seja mais precoce nas mulheres . 
Existem dois picos de prevalência ; antes dos 30 anos e após os 50 anos . E em 15% dos casos surge antes dos 10 anos de idade . 

- É uma doença que , além dos incómodos físicos , traz muitos inconvenientes sociais e , especialmente emocionais , já que sofrem com a alteração da auto-imagem e , especialmente , com o preconceito daqueles que , por ignorância , pensam ser uma doença contagiosa .


1 - Não se luta contra um sintoma - Devemos escutar o sintoma ! Qualquer sintoma que tenhamos não é nosso "arqui-inimigo" contra o qual precisamos lutar com todas as armas . O sintoma é apenas o mensageiro dizendo que algo na nossa vida anda mal conduzido . Todos os sintomas têm um sentido , precisamos descobrir qual o sentido do nosso sintoma . 

2 - A psoríase é considerada uma "doença" por excelência psicossomática - Ou seja , algo em nós não está bem resolvido emocionalmente e manifesta-se no corpo . Na verdade , quase tudo acontece assim ; do psi (mente) para o somático (corpo) . A pele é a nossa primeira protecção e é o que as pessoas vêem em primeiro lugar . A pele , de acordo com a medicina tradicional chinesa , é regida pelo elemento metal , que é o elemento que nos dá a capacidade de nos protegermos na vida .
- É ela que também nos dá a capacidade de romper laços nocivos e aceitar as perdas de forma mais equilibrada . Este é o elemento responsável pelos nossos processos de limpeza , sejam eles emocionais , energéticos ou mesmo físicos , ou seja , ele faz a limpeza do "lixo" que guardamos . Cuidar da mente , conhecer-nos melhor , entender a mensagem do sintoma e mexer-nos para a mudança . 

3 - Cortar radicalmente com a lactose - Alguns terapeutas da medicina tradicional chinesa tecem alguma considerações acerca da intolerância à lactose relacionada aos quadros da psoríase . Foi pedido a um paciente com um quadro grave de psoríase (com descamação quase total do corpo) , para cortar radicalmente a lactose da sua alimentação . Resultado : numa semana sem lactose já apresentava melhorias significativas , melhorias essas que foram crescendo ao longo dos tempos .
A nossa dependência do leite é mais emocional do que qualquer outra coisa , sei que muitas pessoas não conseguem imaginar a sua dieta alimentar sem lactose , mas o benefício de uma dieta sem lactose pode ser infinitamente mais do que um possível incomodo .

4 - Falar - Abram o coração , conversem , não guardem mágoas , nem levem desaforos para casa . Absolutamente não estou a dizer para que digam tudo o que querem e magoar as pessoas a torto e a direito . NÃO! Mas lembrem-se , que tudo pode ser dito dependendo de como é dito . Isto é um exercício de auto-defesa . Não permitir que as pessoas nos magoem ou ofendam , nem aceitar calados aquilo que nos faz sentir mal e magoados . Conversando tudo se resolve !

Espero que tenham gostado ! 
KissKiss 💋



  

3 comentários:

  1. Tenho pessoas na família que têm Psoríase!
    Excelente artigo, parabéns Carla!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Carla! Conheço a doença pelo que leio ... nunca contactei directamente com portadores da doença. Mas obrigada pelas informações esclarecedoras. Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Olá! Conheço uma pessoa que convive com a doença e percebo que ela é realmente incapacitante sobretudo, a nível social. As pessoas ainda não entendem que não se trata de uma doença contagiosa, infelizmente !

    http://anetadaluisa.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir